Back to International Life Histories

Cinthia Sant'Anna Almeida

A minha vida sofreu inúmeras mudanças desde a minha infância, aprendi a viver intensamente todos os momentos, à medida em que ia percebendo que tudo que eu conseguia em um lugar , rapidamente acabava quando eu recebia outra notícia de mudança. Os meios de comunicação participaram em cada momento de forma diferente, a minha relação com eles dependia do meu emocional, do meus sentimentos, se estava me sentindo sozinha me prendia a eles e se estivesse alegre , utilizava eles como meio de diversão. Dessa forma , vou relacionar através desse relato alguns acontecimentos que foram apresentados pela imprensa e que marcaram ou se relacionaram muito com algum momento importante da minha vida.

O primeiro momento que me marcou foi durante a minha infância, eu estava morando em Joinville no estado de Santa Catarina já no quinto ano. Joinville era uma cidade simples, as pessoas não eram muito festivas e costumavam viverem suas vidas muito individualmente. Eu tinha 9 anos , tinha poucos amigos, em sua maioria eram filhos dos colegas de trabalho de meu pai ou então meus vizinhos. As nossas brincadeiras na época se resumiam muito a casa, vivíamos um na casa do outro , assistindo televisão, jogando, a relação com o mundo era muito pequena . No entanto, apesar de eu viver meio isolada, com poucos amigos, eu me sentia bem nesse lugar, pois me divertia estar com eles, além disso nessa época eu viaja muito , conhecia lugares diferentes em todo sul do país. Foi então , nessa época que meu pai resolveu sair da empresa em que estava e se transferiu para outra, nós voltaríamos a Salvador, seria para mim uma grande mudança, uma nova vida, meus amigos, meu colégio, minha casa, tudo mudaria. Eu fiquei um pouco triste por deixar tudo o que eu tinha conquistado, mas também tinha saudade da minha família, meus primos e queria reencontrá-los.

Em Salvador, foi tudo diferente, as pessoas logo que cheguei buscaram a minha amizade e procuravam me integrar com seus amigos, em pouco tempo conheci todo o condomínio, meus colegas da escola e todo mundo ficava o tempo inteiro muito junto, éramos um grupo. A partir desse momento minha vida teve mais alegria , emoção, o tempo todo tinha festa, andávamos pelas ruas de Itapõa , brincávamos muito na praia, a relação com as pessoas eram muito mais abertas. Como eu não ficava muito em casa, o meu acesso as notícias era muito pequeno, o único programa que eu assistia era o da Xuxa, e ele me influenciou muito na minhas atitudes quando criança. Um dia , porém , em que eu não estava com meus amigos vi uma notícia que me deixou parada, foi a queda do muro de Berlim , eu não conseguia entender o porquê daquele movimento todo para quebrar um muro , um pedaço de concreto que para mim não significava nada, recebia a notícia , mas não compreendia. Eu então perguntei para minha mãe por que aquele muro era tão importante, e ela me fez entender que o muro destruído traria uma nova vida e um novo mundo para as pessoas que estavam entre ele, principalmente porque elas voltariam a encontrar seus familiares. Disse ainda que a destruição do muro seria liberdade e que estava acabando com uma guerra. Eu não compreendia muito bem ,porém pensei um pouco em mim e relembrei todas as mudanças pelas quais tinha passado, a nova vida que eu tive em Salvador, a liberdade que consegui obter, e me relacionei muito com o fato. Pensei na alegria das pessoas que estavam se sentindo livres para reencontrar seus familiares e como para mim a mudança também foi boa. O que esse fato me trouxe foi uma lição de como é necessário não criar barreiras às mudanças, pois através delas conseguimos obter melhores resultados e viver cada vez melhor. Essa reflexão me levou depois a aceitar mais facilmente as transformações que depois eu irai ter no futuro.

Outros fatos interessantes que marcaram a minha relação com os meios de comunicação aconteceram no ano de1994. Os acontecimentos desse ano foram muito ligados ao esporte, como a morte de um dos maiores pilotos de fórmula 1 e a conquista do tetra campeonato na copa do mundo. Eu sempre fui muito apaixonada por esportes, sempre participei de campeonatos na escola e adorava ver o Brasil conquistando títulos nessa área. Nesse ano , eu estava ainda em Salvador , morando em uma casa, talvez um pouco mais isolada do que no condomínio. O meu contato com os meios era maior, porque a escola já me cobrava e também eu já entendia melhor as notícias. Eu gostava muito de esportes ,por isso assistia tudo relacionado a essa área. Quando o Ayrton morreu, eu estava assistindo a corrida , aqueles momentos de ansiedade para saber do estado do Senna me corroiam, ele era um grande ídolo para mim . Eu via a imprensa manipulando as notícias para que as pessoas não se desligassem do fato. A demora para dizer que o Senna tinha morrido não foi suficiente para a mídia, ela queria explorar mais o acontecimento. Depois de sua morte , a imprensa utilizava do sentimentos das pessoas para explorar e lucrar em cima de memórias, antigas entrevistas, tudo mantinha os brasileiros ligado ao acontecimento. Comigo não foi diferente, por ser um ídolo, eu continuei ligada a todos meios para ver e ouvir mais coisas sobre o Ayrton, e percebia a falsidade com que algumas pessoas falavam dele. A opinião sobre o piloto mudou radicalmente após sua morte, afinal só relembravam os títulos alcançados por ele, enquanto que as derrotas que eram recentes tinha sido completamente esquecidas. A morte do Senna marcou minha vida por eu ver uma pessoa tão jovem morrer de uma forma horrível e nada poder ser feito e também porque eu percebi através desse fato toda a manipulação e o controle da imprensa sobre mim.

Dois anos depois, em 1996, eu já estava em outra cidade , em Blumenau , era o meu segundo ano no local , mas já estava me adaptando bem. Eu gostava da forma tradicional em que as pessoas viviam , os bailes de gala oferecidos pelos clubes, os carteados e o café das 17:00 h, tudo era muito interessante. Esse ano para mim foi até hoje o mais importante , pois os acontecimentos que ocorreram nesse período transformaram a minha vida. O convívio com minhas melhores amigas , com meu namorado e com as garotas que debutaram comigo, entre outras pessoas da cidade, me mostraram um novo mundo. Desde o tempo em que saí do condomínio , a minha vida se resumia a minha casa e aos estudos , isso me tornou uma pessoa muito tímida , que tinha um certo "medo" das pessoas, pois apesar de ter amigos eu me sentia sozinha. Quando fui para Blumenau, eu pensava em encontrar lá pessoas interessantes que me fizessem sentir bem. O primeiro ano não foi muito fácil, pois havia dificuldade para eu entrar na vida dos meus colegas. No entanto no segundo ano , as relações de amizade se fortaleceram e essas pessoas começaram a me mostrar o que tinha na cidade delas, e me levaram para as festas e bailes, Oktoberfest, e junto com eles eu aprendi a me diverti mais, e ver pessoas de todos os tipos, e não descriminá-las ,dessa forma eu fui perdendo um pouco da minha timidez. No colégio tive que fazer discursos nas aulas de academia, declamar poesias, dar aulas, coisas que não eram comuns nos colégios que havia estudado. Além disso, eu fui debutante de um clube para ser apresentada a sociedade, e antes do baile , havia programações como coquetéis, jantares na casa da patronesse, aulas de etiqueta , passarela, valsa, viagens e tudo isso era noticiado pelo jornal de Santa Catarina na coluna social. Assim, o meu contato foi direto com os jornais, ver minhas fotos , meu nome no jornal , foi uma coisa que eu nunca esperei que acontecesse. Um simples baile de 15anos oferecido pelo clube vira uma badalação na cidade, as lojas apresentam seus melhores vestidos e smoking , divulgações são feitas, é um grande acontecimento. O baile é um luxo, a pai apresenta a debutaste a sociedade , depois são realizadas 3 valsas, é algo que não se vê mais hoje em dia.

Todos esses acontecimentos , a mudança de relação com as pessoas, todo o movimento que teve em cima de mim , me deixou mais aberta a encarar as diversas situações sem ter medo , experimentando a vida sem olhar para trás. Todos essas lembranças se relacionam a momentos diferentes da minha vida , que me trouxeram alguma lição especial. Algumas épocas foram parecidas por exemplo nos 2 momentos em que me senti sozinha ou o contrário, mas a diferença está na fase da vida em que eu vivia. A minha relação com os meio de comunicação se deu em etapas diferente, a primeira quando eu apenas recebia as informações, e não questionava, a segunda foi quando eu comecei a perceber que as notícias eram transformadas e manipuladas pela imprensa e a terceira, foi quando eu vi a imprensa e todos invadindo um pouco da minha vida e das minhas colegas sem a gente ao menos saber. A comunicação esteve presente em todos esses momentos que completaram a história da minha vida.

Back to International Life Histories